A videoarte na Bahia, Brasil, em livro e dvd

 

O videoartista e pesquisador Danillo Barata resolveu transformar em publicação a intensa produção de arte digital na Bahia, que abrange dos anos de 1980 a 2015. O resultado é o projeto Narrativas em Fluxo: Corpo-Imagem, composto por livro e DVD com vídeos, no qual ele pensa o uso de novas linguagens para o entendimento da relação entre poética e políticas do corpo. O livro com DVD teve distribuição gratuita.

O mapeamento da videoarte na Bahia tem como tema a relação corpo-imagem, envolvendo a performance e videoinstalação, na tentativa de compreender como a arte digital tensiona seu espaço no campo da cultura e da arte. Na Bahia, a relação se estabelece, no campo audiovisual, a partir da militância da geração Super-8, tendo como uma de suas expressões mais contundentes a poética do cineasta Edgard Navarro. No campo do vídeo é com a obra de Marcondes Dourado, na década de 1990, que a produção baiana alcança um espaço de legitimação e emancipação. Na mesma década, a performance encontra em Ayrson Heráclito um espaço fértil de experimentações e tensionamentos do que Danillo Barata chama, em seu livro, de “corpo histórico”, o corpo visto como um lugar de inscrição de acontecimentos e, portanto, necessariamente político.

A partir de sua produção artística, Danillo Barata faz uma exploração teórica sobre a relação entre o corpo e a expressão videográfica, que nos permite perceber como esses processos revelam atitudes artísticas transformadoras, ao mesmo tempo em que provocam um diálogo, muitas vezes ruidoso, entre tradição e contemporaneidade. O livro é dividido em quatro capítulos: Diálogo entre o corpo e a câmara; Perspectivas do Corpo-Imagem na Bahia; Ecologia do Pertencimento; Um Soco na Imagem.

Na mostra Corpo-Imagem (encartada no DVD), o autor reúne um grupo atuante de artistas na Bahia: Adalberto Alves, Ayrson Heráclito, Claudio Manoel Duarte, Daniel Lisboa, Coletivo Dimenti, Flávio Lopes, Gaio Matos, Grupo de Interferência Ambiental (GIA), Joãozito, Luiz de Abreu, Marcondes Dourado, Mônica Simões, Pola Ribeiro, Rai Gandra e Yuri Tripodi. “Este projeto é fruto das minhas pesquisas no campo da imagem e dos estudos da performance.  Abordamos trabalhos que apontam para um caminho construído pela poética do corpo, utilizando como linguagens o vídeo, a performance e as videoinstalações”.

Corpo e Imagem

Resultado da sua tese de doutorado na PUC-SP, sob a orientação do pesquisador Arlindo Machado, o projeto Narrativas em Fluxo é um extenso trabalho analítico sobre a produção artística contemporânea baiana, dividido entre textos, imagens e sons. O corpo é pensando em um sentido dialógico, trazendo à tona distorções, ruídos, incômodos, alteridades. O corpo pode ser a cidade, a baianidade. Os territórios afetivos que incursionam esses videoartistas permitem a Danillo Barata a busca de respostas para suas questões: Qual a relação entre poéticas e políticas do corpo? Como se dá o diálogo entre corpo e câmera? A arte eletrônica potencializa o discurso do corpo?

O pesquisador Edvaldo Souza Couto, que assina a apresentação do livro, explica que “as obras reunidas ressaltam a convergência de corpos e imagens, técnicas de informação e experiências cognitivas, hibridismos e sínteses sensoriais nas densidades subjetivas de nós mesmos. Com ele aprendemos, por exemplo, que o homem é o criador de suas próprias condições corporais, que elas são desqualificadas e requalificadas nos múltiplos caminhos e telas onde somos e compartilhamos corpos, desejos e sonhos sempre renovados. Somos possibilidades experimentais”.

Com distribuição gratuita, Narrativas em Fluxo provoca uma revisão dos processos artísticos entre vídeo e performance na Bahia. Dessa forma, a publicação é uma fonte importante para pesquisadores, artistas e estudiosos no campo das artes e do audiovisual. “Precisei fazer uma “arqueologia digital” em alguns arquivos de artistas e muitas obras precisaram ser recuperadas para compor a autoração do DVD encartado no livro”, explica Danillo Barata.

O projeto Narrativas em Fluxo tem coordenação editorial e edição de Cyntia Nogueira e projeto gráfico de Gil Maciel. A publicação é do Selo Editorial Anjo Negro e da Editora da UFRB. E tem o apoio da Fundação Cultural do Estado da Bahia através do Fundo de Cultura do Governo do Estado da Bahia.

Saiba mais: http://narrativasemfluxo.com.br/