Cinema, identidade e território

O Processo Criativo de “Nós,O(u)tros”: Por um Outro Cinema Novo Oeste

 

Filme: NÓS,O(U)TROS (2014, 15 min., Experimental)

 

Um processo em construção sobre a tentativa de liberdade de múltiplas vozes e visões do outro e de si mesmo. Cinco histórias com linguagens audiovisuais e idiomas diferentes, mas unidas por temáticas comuns: a identidade, a alteridade, o contemporâneo, o coletivo e a importância da reflexão sobre estes temas.

Essa é a proposta do curta metragem colaborativo NÓS, O(U)TROS, realizado voluntariamente por coletivos sul-mato-grossenses[1], bem como tratado no presente artigo.

A obra trata de situações, inquietações e reflexões de pessoas de várias partes do mundo, expondo que os problemas vividos por indivíduos de diferentes lugares não são tão diferentes assim e que suas possíveis soluções podem estar mais próximas do que se imagina.

O projeto é uma realização do ColetivoColetivo, grupo de artistas, cineastas, coletivos e produtores constituído para produzir este filme e outras ações socioculturais de forma colaborativa e in(ter)dependente.

Sinopse NÓS,O(U)TROS: Em uma noite qualquer, cinco pessoas pensam ou falam, sozinhas ou entre si, sobre questões universais como amor, desenvolvimento, energia, cultura, relacionamentos, consumo, diversão, arte e felicidade. Cinco histórias em linguagens, narrativas, estéticas e propostas diferentes.

Por meio da utilização de diferentes idiomas (inglês, francês, espanhol, português e japonês) e linguagens audiovisuais (documental, contemporânea/industrial, noir, videoclipada e subjetiva), o filme busca discutir e evidenciar a importância de nos (re)unirmos e de refletirmos sobre os outros e sobre nós mesmos.

Por: Rodolfo Ikeda, cineasta, doutorando no Programa PosCultura do IHAC/UFBA, Brasil.

Disponível com legendas em português, inglês e francês em:

https://www.youtube.com/watch?v=E_HHsjMirvE

[1]    Refere-se ao estado de Mato Grosso do Sul, no Brasil.